Novela “Sinhá Moça” – Resumo dos capítulos de 13/08 a 16/08

1

A seguir você vai ficar por dentro de tudo o que acontece nos próximos capítulos da novela Sinhá Moça. Reprisada pelo canal Viva, a obra vai ao ar de segunda a sábado às 14h30, com reprise às 1h15. Confira o resumo de “Sinhá Moça” de hoje:

Capítulo 169 – 13 de agosto, Segunda – Ferreira continua açoitando Bastião, para que ele diga onde soube do esconderijo do ouro da Fazenda. Sinhá Moça dá à luz um menino, em plena senzala, onde ainda estava trancada, com a mãe e o marido. Ferreira ouve o choro do neto e vai à senzala. Neste exato momento, seus capangas são rendidos pelos escravos da senzala e prendem Ferreira lá dentro. Dimas, então, resolve mandar que Ferreira assine cartas de alforria para todos os escravos da fazenda. Mesmo acuado diante de armas, Ferreira se recusa a assinar estas cartas. Sinhá Moça, que assiste à cena, manda que os escravos atirem em seu pai e desmaia.

Veja também o resumo de outras novelas do Viva:

Próximos Capítulos

Capítulo 170 – 14 de agosto, Terça – Acuado pelas armas e pela pressão feita por todos sobre ele, Ferreira não vê outro jeito senão assinar as cartas de alforria de seus escravos. Mesmo assim, ele continua superior e irônico, dizendo que a grande festa, na verdade, virá mais tarde. Ninguém entende a mensagem de Ferreira, que diz que toda a Araruna será incendiada. Ana e Eduardo assinam seu novo contrato de noivado, pois o de Ana com Ricardo foi anulado. Os dois, agora, resolvem ir para a Capital da Província. Augusto recebe, em sua tipografia, um telefonema dizendo que a Princesa Isabel assinou a lei que abole a escravatura no Brasil.

Capítulo 171 – 15 de agosto, Quarta – Os fazendeiros escravagistas amigos de Ferreira chegam à fazenda para soltá-lo. Uma vez livre da senzala, o Barão resolve tomar sua atitude mais insana, que foi prender Frei José no tronco para que, tendo-o como refém, alguém lhe dissesse onde estava escondido o ouro. Neste momento, porém, chegam Augusto e Maria das Dores, com a notícia da abolição dos escravos. Todos ficam contentes. Frei José é solto e os escravos vão comemorar na cidade. Com exceção de Justo, Balbina e Fulgêncio, que ficam na fazenda para vingar-se de Ferreira e prendem-no outra vez na senzala, ateando fogo a ela.

Capítulo 172 – 16 de agosto, Quinta – Ferreira morre na senzala, que pega fogo com ele dentro. Sete meses depois, Juliana está grávida de Dimas. Ana espera um filho de Eduardo e elas conversam, contentes da vida, cada uma por seu lado. Ricardo continua oferecendo todo seu carinho à Baronesa, enquanto Rodolfo começa a se preocupar muito com sua esposa, que parece ter herdado do pai todo o autoritarismo que ele tinha com relação aos escravos. Sinhá Moça demonstra isso quando vê chegarem os primeiros italianos em sua Fazenda. Fim.

Capítulos Anteriores

Abaixo, você pode ler um pequeno resumo do que aconteceu de mais importante até agora em “Sinhá Moça“.

SEMANA 1 – Sinhá Moça e Rafael acodem o Pai José, que acaba morrendo nos braços das duas crianças, não sem antes dizer à menina que ela é irmã de Rafael. Ferreira vende Rafael e sua mãe para um mercador que lhes concede a liberdade. Dez anos depois, Sinhá Moça volta da cidade grande. Sinhá Moça e Rodolfo começam a se envolver um pelo outro, mas Rodolfo está mais encantado do que a moça. Rodolfo se espanta ao saber que Ana o aguarda para noivar. Rodolfo recusa-se a ficar noivo de Ana e cumprir o prometido pelo pai dele. Bruno conta ao Barão que há reuniões abolicionistas acontecendo na cidade. Sinhá Moça, revoltada com as atitudes escravocratas e desumanas de seu pai, resolve voltar-se contra ele e ir cuidar do olho ferido de Fulgêncio. Cândida diz a Sinhá Moça que Ferreira está pensando em casá-la com Rodolfo. Sinhá Moça tem uma reação violenta, dizendo que já o conhece mas que o odeia. Rodolfo recebe, contentíssimo, a notícia de que o Barão de Araruna está a favor de seu noivado com Sinhá Moça.

SEMANA 2 – Ferreira fica irritado quando Fontes lhe diz que Coutinho alforriou os escravos. Rodolfo beija Sinhá Moça, que reage feliz, mas não o deixa ver sua alegria. O Delegado, a mando de Ferreira, manda chamar Dimas na delegacia. Dimas é preso, por desacatar a autoridade do Delegado, principalmente porque ele mostrou sua carta de alforria, revelando-se um ex-escravo, agora alforriado. Rodolfo e Fontes, espertamente, conseguem convencer o Barão de que o melhor seria soltar o rapaz, já que ele pode vir a se tornar um herói para a população. Rodolfo consegue confessar a Sinhá Moça que, na verdade, ele é um abolicionista. Ricardo sonha com Ana do Véu, imaginando-a feia e banguela. Ele resolve, então, separar-se dela. Mário vai à casa de Fontes para dizer que está pensando em criar um clube abolicionista em Araruna. Fontes diz que banca, desde que os pais dos rapazes assinem embaixo. Rodolfo fica indignado quando vê dois escravos serem levados, quase mortos, para a delegacia. À noite, o soldado que tomava conta dos dois se espanta ao sentir uma pistola em sua nuca, de um mascarado misterioso. O estranho personagem encapuzado leva os escravos que estavam presos, soltando-os. Frei José está completamente aturdido, porque o mascarado deixou os escravos fugitivos na casa paroquial. O mascarado escreve uma carta anônima para Mário, pedindo ajuda para os escravos. Adelaide diz a Sinhá Moça que o pai dela corre perigo de vida com os escravos.

SEMANA 3 – Frei José diz a Manoel que é contra a ideia de mandar Ana do Véu para um convento. O Capitão do Mato resolve investigar em cada casa de Araruna para ver se os escravos estão escondidos por ali. Ana tira o véu para Ricardo, em sonho, que se espanta com a beleza da moça. Everaldo ajuda os rapazes a soltarem os escravos. Mário leva os dois para longe de Araruna, mas o Capitão do Mato o vê de volta e desconfia. Os escravos fugidos acabam se perdendo e vão dar na fazenda do Barão. Apesar de ter descoberto a mentira de Bentinho, o Barão não manda açoitá-lo, manda apenas que o prendam na senzala. Sinhá Moça vai visitá-lo, às escondidas, quando sabe dos dois escravos que estão escondidos ali e resolve escondê-los dentro da Casa Grande. Sinhá Moça pede a Virgínia que prepare mantimentos para os escravos. Ricardo confessa a Inez que está apaixonado por Ana do Véu. Dois fazendeiros escravagistas comentam com Augusto que desconfiam de Dimas. Bastião não entende a manobra de Rodolfo e conta para Sinhá Moça que Rodolfo traiu a confiança dela. Com o mal-entendido, Sinhá Moça diz ao pai que não quer mais casar com Rodolfo. Bentinho foge, o Capitão o prende e o ameaça de tortura para dizer onde estão os escravos. Augusto flagra Dimas conversando romanticamente com Juliana e repreende o rapaz, que promete não dormir mais lá a partir do dia seguinte. O Cavaleiro Mascarado livra os dois escravos, durante a madrugada, do sótão da Casa Grande, onde estavam escondidos e os deixa de novo na paróquia.

SEMANA 4 – Honório aparece morto a pancadas e todos começam a desconfiar que Justino tenha sido o culpado. Justo pede a Fontes que lhe dê o dinheiro que guardou para ele e resolve ir embora, sem se despedir de ninguém, numa atitude suspeita. Ana do Véu recusa-se a comer ou beber qualquer coisa. Ana diz ao pai e à mãe que também fez uma promessa: só tira o véu, mesmo dentro de casa, quando puder não andar mais com ele na rua. Justino confessa a Fulgêncio que foi ele quem matou Honório. Mas as suspeitas acabam recaindo sobre o Cavaleiro Mascarado. Sinhá Moça termina o noivado com Rodolfo. Ele fica magoado ao saber que ela está apaixonada pelo Cavaleiro Mascarado. Augusto consegue convencer Dimas a voltar à sua casa, a pedido de Juliana. O Delegado e o Capitão começam a desconfiar que Dimas seja o Cavaleiro e que sua carta de alforria é forjada. Ricardo é flagrado pelo pai de Ana quando vai visitar a Moça. O Delegado suspeita que Dimas seja o Cavaleiro Mascarado. Dimas conta a Augusto que sua carta de alforria é forjada, que seu verdadeiro nome é Rafael e ele é filho do Barão de Araruna. Manoel resolve dar um baile para mostrar o rosto da filha. O Cavaleiro procura Sinhá Moça e lhe dá uma flor. Rodolfo procura Dimas dizendo que recebeu uma mensagem do Cavaleiro Mascarado, que pedia ajuda para libertar os escravos de uma outra fazenda. Bastião quer saber os segredos de Bentinho. Ele não diz e os dois brigam. Ricardo procura Ana, confessa que está apaixonado, que escreveu todas as cartas e que a idéia do baile partiu dele, não de Rodolfo. Dimas descobre, Rodolfo confirma que ele é o Cavaleiro Mascarado. Ferreira fica furioso quando sabe que Rodolfo vai ficar noivo de Ana do Véu e vai tirar satisfações com ele.

SEMANA 5 – Ferreira reúne os fazendeiros na casa de Fontes e ordena ao Delegado que atire para matar quando vir o Cavaleiro Mascarado. Sinhá Moça, então, sugere que Adelaide peça ao Barão que não maltrate Justino. Rodolfo e Bentinho conseguem libertar todos os escravos da Fazenda Sete Quedas. Em Araruna, o Barão e os outros fazendeiros ficam apavorados, agora querendo vingar-se do Cavaleiro Mascarado. O Capitão do Mato e seus homens são surpreendidos, na madrugada, com uma turma de escravos que rouba seus cavalos e armas. Rodolfo pede ao Barão que fique em sua fazenda para tomar conta de Sinhá Moça. Nino diz a Dimas que desconfia que Rodolfo seja o Cavaleiro. O fazendeiro de Sete Quedas suicidou-se porque ficou sem os escravos. Ana do Véu tira seu véu durante a festa e deixa a todos espantados com sua beleza. Virgínia ouve Sinhá Moça falar que desconfia que Dimas seja Rafael e as duas se abraçam, emocionadas. Frei José confirma a Sinhá Moça que Dimas é Rafael. Ela quer vê-lo e Frei José diz que vai ajudá-la a encontrá-lo.

SEMANA 6 – O Barão não consegue pegar o Cavaleiro Mascarado. Sinhá Moça diz a Martinho que vai vender-lhe Adelaide, desde que ele marque a data do casamento com a negra. Dimas pede Juliana em casamento. Fontes conta a Inez que Rodolfo é o Irmão do Quilombo. José Coutinho conta a seu pai que está muito envolvido por Adelaide. Frei José tenta saber se Sinhá Moça conhece a verdadeira origem de Dimas. Sinhá Moça se confunde, acha que o Frei está querendo lhe dizer que Dimas é o Irmão do Quilombo. Rodolfo procura Dimas para dizer-lhe que está indo embora para a Capital e que o Irmão não vai agir mais. Inez aconselha Ricardo a desprezar Ana do Véu. Justino promete a Fulgêncio que vai deixar o Barão de Araruna cego. Coutinho conta ao Barão de Araruna que vai acontecer a reunião Republicana na casa de Dr. Fontes, à qual Rodolfo comparecerá. O Barão fica espantado com a notícia e furioso. Frei José conta para Rafael/ Dimas que ele pode não ser filho do Barão de Araruna. Sinhá Moça questiona Bá porque ela não pode se casar com Rafael. Barão de Araruna chama o delegado para invadir a reunião republicana. Barão de Araruna/ Ferreira tenta flagrar as pessoas reunidas, mas todos foram avisados por Bobó e já não estavam mais lá quando ele chega.

SEMANA 7 – Juliana fala para Sinhá Moça que é noiva de Rafael/ Dimas e ela fica arrasada. Justino diz ao Feitor que ele é um guerreiro do Rei, fazendo menção à morte do Pai José. Sinhá Moça diz que vai cuidar de Justino na senzala e Bruno, então, só tem uma alternativa: trancar Sinhá Moça na senzala. Ela conversa com os escravos e passa a noite lá. Sinhá Moça revela para Fulgêncio e Justino que Rafael é o Irmão do Quilombo. Ferreira reúne os fazendeiros para falar da fuga dos escravos. Rodolfo pega Sinhá Moça no colo e a tira da senzala contra a sua vontade. Ferreira avisa a filha que ela terá que casar com Rodolfo, quando ele revela ao Barão de Araruna que é abolicionista e republicano. Todos ficam estarrecidos e o Barão cobra uma explicação de Fontes, que afirma ter as mesmas ideias do filho. Justino fala para Fulgêncio que a porta da senzala está aberta e que eles podem fugir. Rodolfo faz uma reunião e comunica que ele e seu pai romperam o Barão de Araruna. Coutinho fala com o Barão que o seu filho está disponível para casar com Sinhá Moça. Rafael/ Dimas e Sinhá Moça conversam e ela diz a ele que o ama desde de criança. Dimas/Rafael tenta, mas não tem coragem de dizer-lhe que eles são irmãos. Everaldo comunica aos integrantes do partido que alforriou os seus escravos. Ricardo pede a mão de Ana Véu em casamento, mas ele não aceita. Justo conta para Fontes que perdeu todo dinheiro da sua alforria e pede para trabalhar para ele novamente. Barão de Araruna cobra do delegado que ele prenda o Irmão do Quilombo. Rodolfo pede para Justo fazer uma cópia da chave da Senzala do Barão. Rafael/ Dimas e Sinhá Moça se encontram e ele lembra de quando o feitor matou Pai José, e da promessa que fez de matar o feitor.

SEMANA 8 – Coutinho sugere que o Barão de Araruna faça um acordo com os escravos e transforme eles em trabalhadores assalariados. Bruno conta para o Barão que Justino o enfrentou e ele o manda matar. Sinhá Moça, indignada com o pai, que mandou Bruno matar Justino, resolve sair de casa para sempre. O Barão, furioso, concorda que ela vá, mas sem nada, apenas com a roupa que tinha no corpo. Bastião leva Sinhá Moça embora da fazenda. Sinhá Moça resolve pedir ajuda a Frei José, pois não tem para onde ir. O Frei, então, pede a Augusto que receba Sinhá Moça em sua casa. Juliana diz que sim, e Sinhá Moça vai para lá. Justo entrega a chave da senzala do Barão para Rodolfo. Augusto fala para Dimas que Juliana precisa saber que ele e Sinhá Moça são irmãos. Barão de Araruna decide mandar Adelaide de volta para a senzala, depois de saber que o filho de Coutinho está apaixonado por ela. Bentinho aconselha Justo a matar Ferreira. Justo não tem coragem de matar Ferreira, mas diz a Bentinho que, se ele fizer algo contra os Fontes, não hesitará em matá-lo. Barão de Araruna manda o delegado Antero prender Dimas, ele se recusa e o Barão o expulsa do cargo. Ferreira coloca o Capitão do Mato no lugar do delegado e manda prender Dimas/ Rafael. Furioso, o Barão manda que o Capitão do Mato leve Dimas para a Fazenda de Araruna, como escravo, amarrado em uma corda. Fontes se reúne com os demais fazendeiros para pensarem como vão libertar Dimas/Rafael. Por ordem do Barão, Bruno prende Rafael na senzala. Rodolfo e Sinhá Moça falam das mágoas que um sentia pelo outro e os dois fazem as pazes. Ricardo diz a Rodolfo que pretende raptar Ana do Véu. Frei José, conversando com Augusto, sem querer revela que Rafael é filho do Barão de Araruna. Frei José diz a Augusto que tem medo que Ferreira mande matar Rafael quando souber que ele é filho dele. Rafael reúne os escravos e conta-lhes toda sua história. Rafael reza e pede ao Pai José que tire dele o amor que sente por Sinhá Moça. Bastião leva as roupas de Sinhá Moça e lhe diz que Rafael está sendo tratado como um escravo na Fazenda do Barão.

SEMANA 9 – Rodolfo diz a Frei José que abre mão de Sinhá Moça para vê-la feliz com Rafael. Ricardo revela a Rodolfo que está apaixonada pela Baronesa Cândida. Rodolfo tenta soltar Nino e Mário, mas o Capitão do Mato impõe a sua lei como delegado e não os liberta. José Coutinho se encontra com Adelaide e os dois se beijam. Ferreira diz a Bá que sabe onde está o seu filho, mas não irá lhe contar. Rafael enfrenta o Barão, mas ele não o manda para o tronco, para espanto de todos que estavam assistindo à discussão. Fontes forja uma ordem do juiz e destitui o Capitão do Mato do cargo de delegado. Justino diz a Rafael que mata e morre por Adelaide. Ferreira implora a Cândida que volte a dormir com ele, mas ela continua firme em seu propósito de não querer mais ser sua mulher. Frei José procura Coutinho para dizer-lhe que seu filho quer se casar com Adelaide. Coutinho se desespera ao saber, por Frei José, que seu filho quer se casar com uma mestiça. Cândida resolve ajudar Adelaide a casar com José Coutinho para tirá-la do perigo que o Barão oferece. Ricardo volta à fazenda do Barão e confessa a Cândida que está apaixonado por ela. Augusto promete a Juliana que vai contar-lhe tudo a respeito da vida de sua mãe. Augusto conta a Juliana que o pai dela abandonou sua mãe, deixando-a grávida e que a mãe morreu durante o parto. Frei José quase conta para Sinhá Moça que ela é irmã de Rafael, quando Rodolfo interrompe a conversa. Sinhá Moça fica sabendo que Rafael não é o Irmão do Quilombo. Sinhá Moça e Rodolfo se beijam. Cândida tenta uma reconciliação com o Barão, os dois ficam juntos, mas quando Cândida fala da filha eles brigam novamente. Ricardo revela a Rodolfo saber que ele é o Irmão do Quilombo. Fulgêncio conta para Bá qual foi o destino do seu filho, depois que o Barão o tirou dela. O Capitão do Mato traz Rafael amarrado pela corda até a cidade e o deixa preso na cadeia.

SEMANA 10 – Bastião conta para Fulgêncio que Rafael não é o Irmão do Quilombo. O antigo delegado de Araruna reassume seu posto a mando de Fontes e Rodolfo, que o mandam dizer ao Barão que o juiz é abolicionista. Juliana visita Rafael na cadeia, os dois se beijam e Sinhá Moça vê. Ferreira, depois de ter visto Sinhá Moça passeando com Rodolfo, decide mandar trazê-la de volta para casa. Cândida se reconcilia com o Barão de Araruna. Frei José conta a Sinhá Moça que Rafael é seu irmão. Sinhá Moça fica perturbada ao saber que Rafael é seu irmão e promete ao Frei José não contar a ninguém. Frei José avisa para Juliana que Rafael fugiu da cadeia e foi embora, ela fica triste. DSinhá Moça, contente ao saber que Rafael está solto, beija Rodolfo e lhe diz que o ama. Rodolfo e Sinhá Moça trocam juras de amor. Rafael, que devia ter partido no trem, resolve ficar na casa paroquial, onde está escondido, sem que ninguém saiba disso. Sinhá Moça e Cândida conseguem convencer Ferreira a não perseguir Rafael. Após saber a história e Rafael, Frei José elogia ele para Rodolfo, Augusto e Juliana.

SEMANA 11 – Coronel Ferreira conta para Adelaide que José Coutinho quer casar com ela e que deverá pagar um alto valor. Justino fica sabendo do casamento de Adelaide e arma plano para matar os dois. Ferreira pergunta para Bastião sobre mãe. Sinhá Moça diz que não esqueceu beijo de Rodolfo. Sinhá Moça diz à mãe que pretende se casar com Rodolfo, mesmo sem a permissão do pai e que gosta de Rafael como irmão. Cândida fala com a filha sobre suspeita de que Rafael seja filho bastardo do Barão. Coutinho diz que irá recuperar os escravos e rasgar cartas de alforria. Coutinho avisa ao filho que ele será deserdado caso insista em se casar com Adelaide. Rodolfo diz a Justo que só irá dizer a Sinhá Moça que é o Irmão do Quilombo quando conseguir soltar os escravos da Fazenda do Barão. José Coutinho pede ao Barão para deixar ele levar Adelaide e pagar por ela depois, mas ele não permite. Justo comunica aos escravos da fazenda de Coutinho que eles terão que voltar para a senzala dele, porque estão sem a carta de alforria. O Barão de Araruna aconselha Coutinho a comprar Adelaide, para que ela não se case com o filho. Ferreira avisa para Sinhá Moça e Cândida que vendeu Adelaide para Coutinho. Adelaide fica desesperada ao saber que o Barão vai vendê-la para o pai de José Coutinho, pois imagina o que possa lhe acontecer. Rodolfo e Sinhá Moça armam um plano para salvar Adelaide das mãos de Coutinho. Sinhá Moça explica a Adelaide que ela será raptada pelo Irmão do Quilombo durante a noite, seguindo combinações com Rodolfo. O Irmão do Quilombo pega Adelaide e, finalmente, se mostra a Sinhá Moça como Rodolfo.

SEMANA 12 – Justino, ao saber que Adelaide fugiu, teima em correr atrás dela, mas Bruno o impede e o põe trancado a ferros. Frei José realiza a cerimônia de casamento de Adelaide e José Coutinho, para que nada os impeça mais de viver juntos. Rodolfo entra no quarto de Sinhá Moça e os dois se beijam apaixonados. Barão de Araruna, fica sabendo que os escravos de Coutinho foram libertados pelo Irmão do Quilombo, pensa que Rafael voltou e jura vingar-se dele. Nenhum fazendeiro aceita ajudar Coutinho a recapturar seus escravos. Ferreira reúne a família e comunica que estava enganado ao pensar que Rafael era o Irmão do Quilombo. Coutinho descobre onde o filho está morando e vai atrás dele. Coutinho propõe ao filho que volte para casa e sugere a Adelaide que aceite dinheiro para sumir da vida de José Coutinho. Barão de Araruna avisa a Sinhá Moça que não permitirá que ela namore com Rodolfo. Rafael retorna para Araruna e surpreende Frei José.

SEMANA 13 – Rafael fala à Frei José que agora é um homem livre, mas que voltou para cumprir sua missão. Frei José conta a família de Fontes que Rafael voltou para a cidade. Rafael e Rodolfo discutem seriamente com Ferreira e acabam por expulsá-lo da casa de Augusto. Ferreira conta para Sinhá Moça que Rafael voltou, mas que ela não deve vê-lo. Fulgêncio guarda segredo, até de Justino, que está enxergando de novo. O Barão de Araruna manda o Capitão do Mato matar Rodolfo. Rafael diz à Juliana que não quer namorar com ela e termina o romance. Frei José aconselha Adelaide a contar ao marido que está lavando roupa para fora, eles conversam e ela diz que está grávida. Sinhá Moça resolve trancar-se no quarto, pois está desalentada da vida. Cândida briga com Ferreira, mas ele está irredutível e não deixa Sinhá Moça casar com Rodolfo. Sinhá Moça revela a Cândida que Rodolfo é o Irmão do Quilombo. Justino diz a Fulgêncio que matou Honório por amor, e que faria tudo outra vez pois continua louco de amor. Bastião diz a Virgínia que o povo da senzala está querendo matar o Capitão. Cândida exige que Ferreira mande o Capitão do Mato embora. Ferreira não aceita o pedido da esposa e ainda manda o Capitão do Mato bater em Bastião na frente delas. Ricardo e Ana se beijam novamente e ela aceita namorar com ele escondido. Frei José conta a Rodolfo que o Barão irá viajar e ele pensa em libertar os escravos e roubar Sinhá Moça.

SEMANA 14 – Justino diz para Bastião que quer fugir e Bastião revela que está enxergando de uma vista. Ferreira dá ordens expressas de ninguém entrar ou sair da fazenda enquanto ele viaja e Sinhá Moça ameaça fugir. Rodolfo promete a Bastião que vai usar a cópia da chave que tem da senzala para liberar os escravos da Fazenda Araruna. Rodolfo escreve uma carta e pede a Bastião que chegue até Sinhá Moça. Bastião chega à fazenda e é revistado pelo Capitão do Mato que encontra a carta e pergunta para quem é. Sinhá Moça e Cândida se aproximam e dizem que a carta foi enviada pelo Frei José com uma oração. O capitão não sabendo ler se constrange e libera a carta. Sinhá Moça lê a carta para sua mãe, fica emocionada e exaltada com medo de Rodolfo fazer uma loucura e morrer por ela. Rodolfo recebe apoio de sua mãe Inês para resgatar Sinhá Moça. Com o desejo de ajudar o irmão, Ricardo vai à fazenda Araruna. O Capitão do Mato tenta pará-lo, mas ele avança e recebe um tiro pelas costas e cai ferido. Ricardo, muito ferido, é ajudado por Sinhá Moça, Cândida e Virgínia. O Dr. Amorim cuida de Ricardo. O médico trata de Ricardo, tira-lhe a bala que estava encravada em suas costas e diz ter esperanças de que ele fique melhor. Fontes, completamente enlouquecido ao ver o filho agonizando, diz que quer prender o Capitão e Ferreira. E vira-se para Sinhá Moça, dizendo que não vai querer como nora a filha de um homem que mandou matar seu filho. O delegado avisa a Fontes que os escravos colocaram o Capitão do Mato no tronco. Preso, o Capitão do Mato conta para o delegado que Justino é O Capoeira e matou Honório. Ricardo se recupera aos poucos. Ricardo, já recuperado, continua apaixonado pela Baronesa. Toda a cidade começa a comentar sobre a paixão de Ricardo pela Baronesa. Inez diz a Sinhá Moça que também não permitirá mais o casamento dela com Rodolfo. Ricardo volta para casa e encontra Rodolfo furioso por ter causado tanta confusão.

SEMANA 15 – Ferreira, definitivamente, muda as regras do jogo para tentar competir na política do país. E manda preparar uma festa para os escravos. Ferreira, durante a festa dos escravos, manda que Sinhá Moça ateie fogo ao tronco e a todos os outros instrumentos de tortura, pois não quer mais ouvir gritos de dor em sua fazenda. Os escravos ficam contentes, dançam e cantam. O Barão de Araruna, no dia seguinte ao da festa, manda que Bruno deixe as portas da senzala abertas e diz aos escravos que vai alforriá-los quando eles tiverem trabalhado o suficiente para pagar o preço que valem. Capitão revela para Fulgêncio que o seu nome é Justo. Adelaide diz a Sinhá Moça que ela está grávida, mas tem medo que de ele nascer negro. Ricardo aconselha Rodolfo a roubar Sinhá Moça. Rodolfo e Rafael desconfiam da mudança do Barão com os escravos. Ferreira diz a Cândida que está pensando em alforriar Virgínia. Cândida lhe diz que deve, antes disso, restituir-lhe o filho que ele roubou dela. Os escravos do Barão, para espanto dele, resolvem trabalhar por conta própria, mesmo sem a pressão do feitor. Rodolfo cria coragem e vai à Fazenda para conversar com Ferreira. Os dois discutem, Ferreira o ameaça e Rodolfo diz que, se ele puxar uma arma, vai ter que matá-lo para não morrer. Ferreira fica furioso e atônito com a coragem de Rodolfo em lhe dizer que, se ele não consentir com o casamento dele com Sinhá Moça, vai fugir com ela. Ferreira resolve mandar Cândida e Sinhá Moça para a Europa, a fim de evitar que Rodolfo cumpra o que prometeu. Fontes e Inês brigam com Rodolfo por ele ter ido pedir a mão de Sinhá Moça ao Barão. Bastião avisa a Rodolfo que Sinhá Moça irá viajar e que ela o pediu para o Irmão do Quilombo parasse o trem.

SEMANA 16 – Rodolfo, tendo recebido o recado de Sinhá Moça, pensa em ir para a Europa com ela, mas seus pais negam-lhe ajuda financeira. Desesperado, ele acata a idéia que Ricardo lhe dá, de parar o trem e embarcar no meio do caminho. Rodolfo e Ricardo tramam um jeito eficiente de parar o trem e, com a ajuda de Dimas, Bentinho e Justo, põem o plano em ação. Enquanto isso, para despistar, Rodolfo vai à estação e despede-se de Sinhá Moça, na frente do Barão. Enquanto isso, Dimas e Ricardo estão na locomotiva, onde prendem o maquinista e exigem que ele atrase o trem, para que dê tempo a Rodolfo de conseguir pegá-lo no meio do caminho. Depois de saber que estava sendo incomodado para ajudar a um casal de jovens, o maquinista resolve colaborar e pára a máquina, permitindo que Rodolfo rapte Sinhá Moça. Justino e Fulgêncio revelam ao Capitão que Rodolfo é o Irmão do Quilombo. Rodolfo acomoda-se com Sinhá Moça e Dimas na mata, à espera do dia clarear para que os dois possam ir ao Quilombo e casar. O Capitão do Mato procura Ferreira e entrega o nome do Irmão do Quilombo, dizendo que Rodolfo foi sempre ajudado por Rafael quando agia. Ferreira dá dinheiro e armas ao Capitão, pedindo-lhe que mate Rodolfo. Justino e Fulgêncio procuram Frei José para contar-lhe toda a trama armada pelo Capitão contra Rodolfo. Desesperado, Frei José procura Fontes para lhe contar a notícia. Rodolfo e os outros procuram refúgio no quilombo. Frei José parte para o Quilombo, a fim de casar Sinhá Moça e Rodolfo. Ferreira viaja.

SEMANA 17 – O Capitão conversa com Virgínia e revela que ele é filho da irmã dela, portanto seu sobrinho. Rodolfo está armando tudo para abrir de uma vez a senzala do Barão, e Sinhá Moça diz que quer ir com ele. Ferreira chega de viagem, arrastando com violência Cândida, que se nega a dizer como foi que os dois fugiram. Frei José chega ao Quilombo para celebrar o casamento dos dois. Rafael prepara-se para levar Sinhá Moça ao altar improvisado que os negros armaram no Quilombo. Frei José celebra o casamento, assistido por todos os negros do Quilombo. Ricardo vai à mansão do Barão para contar a novidade sobre Sinhá Moça a Cândida, que recebe a notícia muito bem. Ferreira diz a Everaldo que espera que Sinhá Moça viva feliz, mas nunca mais quer vê-la. Virgínia comenta com Cândida que Ricardo deve estar apaixonado por ela. Ferreira mostra todo o ouro escondido na Casa Grande a Cândida. Sutilmente, Ferreira consegue perceber que Cândida sabe do paradeiro da filha, mas não quer revelar. Frei José confirma a Dimas, definitivamente, que ele é filho do Barão. Sinhá Moça trama abrir a senzala da Fazenda Araruna e levar os escravos para o Quilombo, onde pretende formar, ali, um verdadeiro reino dos filhos do Pai José. Seu Manuel propõe ao delegado que execute Capitão.

SEMANA 18 – Justo resolve ir à cadeia, conversar com o Capitão, que ele agora sabe ser seu filho. Justo diz ao Capitão que vai livrá-lo da prisão. Justo e Betinho ficam espantados quando percebem que a senzala já está aberta e que os escravos não têm vontade de sair de lá. Virgínia resolve não fugir com Sinhá Moça, pois prefere ficar com Cândida. Os quatro Irmãos do Quilombo chegam à Fazenda e espantam-se quando percebem que nem todos os escravos querem sair de lá. Sinhá Moça resolve ir buscar Virgínia e trazê-la à força mesmo. Na passagem para a Casa Grande, é alvejada pelo próprio Barão, que havia escutado os tiros trocados entre Bruno e Rodolfo, Ricardo e Dimas. Desesperado quando descobre que atirou na própria filha, ele a leva para dentro e chama um médico. Enquanto isso, Rodolfo está desorientado, achando que Sinhá Moça pode estar morta. Sinhá Moça começa a recuperar-se, pergunta pelo marido e todos acham que ela só pode estar delirando, pois ninguém ainda sabe de seu casamento com Rodolfo. Sinhá Moça, depois de acordar, manda chamar novamente o pai, desta vez com o testemunho de Frei José, para contar-lhe que está casada com Rodolfo. Sinhá Moça conta para o pai que está casada com Rodolfo. Ferreira, absolutamente atônito, fica com raiva, tranca-se em seu gabinete e não quer falar com ninguém.

SEMANA 19 – Adelaide é levada à força por Justino e o Capitão, que a levam para o Quilombo. Ferreira diz a Cândida que não permitirá que Sinhá Moça vá com Rodolfo, pois não acredita neste casamento. Ferreira vai à delegacia e leva Fulgêncio e Bastião com ele, prometendo-lhes, no entanto, que não haverá castigos para os dois. Sinhá Moça descobre que está esperando um filho de Rodolfo. Ferreira é baleado pelas costas no momento em que estava conversando com Fulgêncio e Bastião. O povo de Araruna, alarmado com a notícia, vai à delegacia para tentar saber quem foi o assassino do Barão. Juliana tem certeza que o assassino é Rafael. José Coutinho continua pressionando seu pai para saber onde está Adelaide. Justo também começa a ser um dos suspeitos da morte do Barão. Ferreira começa a dar sinais de que está lutando pela sobrevivência. Sinhá Moça conta a Rodolfo que está esperando um filho dele. Augusto diz a Dimas que pensa ter sido ele o autor do assassinato contra Ferreira. Sinhá Moça conta a Ferreira que está esperando um filho. Com um sopro de vida, ele ainda consegue dizer que abençoará este neto e que quer que ele tenha seu nome, mas que ele não saiba que foi o pai dele quem o matou. Justo desaparece, o que aumenta as suspeitas contra ele. Na verdade, Ferreira está acordado e pede a Cândida que chame o delegado em seu leito de morte. Ferreira alforria Bastião e Fulgêncio, para espanto de todos. Depois, ele manda chamar o delegado e acusa Rodolfo de ter tentado matá-lo, pedindo o testemunho de Fulgêncio e Bastião. Enquanto isso, o delegado vai à casa de Fontes para prender Rodolfo.

SEMANA 20 – Inez e Fontes resolvem levar Rodolfo para a casa de Manoel, onde pretendem escondê-lo por uns tempos. Fulgêncio e Bastião garantem a Sinhá Moça que não viram Rodolfo atirar em Ferreira. Os escravos, reunidos frente a Bruno, acusam-no de ter atirado em Ferreira para ficar com todo o ouro que ele sabia existir na Fazenda. O delegado prende Rodolfo, mas deixa as portas da cela abertas. Ferreira manda retirar a acusação, o que o coloca numa posição magnânima frente à filha, que, agora, não sabe o que pensar a respeito. Ferreira começa a ficar preocupado porque não está sentindo suas pernas. E diz à filha que está desculpando Rodolfo por ter tentado matá-lo. Ferreira delira e pede a Cândida que não mostre seu ouro a Rodolfo. Mas quer que ela mostre a Sinhá Moça, que fica perplexa quando vê todas as barras juntas, sob a Fazenda de Araruna. Sinhá Moça fica preocupada com a possibilidade dos escravos descobrirem o ouro escondido na Fazenda e dá ordens a Virgínia para que não deixe ninguém dormir no quarto de despejo. Sinhá Moça recebe Rodolfo de maneira hostil. Passam-se alguns dias, o Barão fica numa cadeira de rodas, adorando a idéia de ter um neto só para si, enquanto Rodolfo se remói de ódio. Ferreira recebe a notícia do médico, de que ele está condenado a viver o resto de seus dias numa cadeira de rodas. Mário revela ao pai e a Augusto que ele e Juliana resolveram assumir o namoro. Dimas começa a perceber que está perdendo Juliana, de verdade. Virgínia conversa com Fulgêncio e diz que suspeita do Capitão como sendo o verdadeiro agressor do Barão. Ferreira consegue seduzir Bastião, com uma placa de ouro, para que ele diga à Justiça que também viu Rodolfo atirando nele.

SEMANA 21 – Bastião, acuado por Ferreira, diz a Augusto que viu Rodolfo atirar em Ferreira. Mas Bastião não consegue se conter diante do interrogatório de Sinhá Moça e desmente tudo para ela. Sem saber o que fazer, Sinhá Moça se aconselha com a mãe, que a incentiva a ir procurar o marido e ser feliz com ele. Cândida começa a mandar no Feitor e diz a Ferreira que, enquanto ele estiver na cadeira de rodas, ela tomará a dianteira da administração da casa. Coutinho dá uma carta de alforria a Adelaide, que fica atônita, sem saber o que fazer com aquilo. Ela, então, resolve procurar Nina e pede que a deixe trabalhar para Ana. Sinhá Moça pede perdão a Rodolfo, e os dois se reconciliam, para a alegria de Inez e Fontes. Adelaide, enquanto isso, diz a José Coutinho que está indo embora, pois o casamento dos dois já acabou. Bastião diz a Fulgêncio que desconfia que foi Bruno quem atirou em Ferreira. Ferreira oferece a mão de Sinhá Moça a José Coutinho e diz-lhe que pagará um bom preço para que ele aceite. Mário acusa Dimas de deixar o Barão entrevado numa cadeira de rodas. Dimas jura para Juliana que não foi ele quem atirou. Sinhá Moça começa a desconfiar que Ricardo está apaixonado por Cândida. Ferreira desconfia de Cândida e resolve trancá-la no quarto dela.

SEMANA 22 – Bruno pede a Fulgêncio que descubra onde está o ouro da Fazenda. Bruno encontra Ricardo e o leva, à força, para a Fazenda, a mando de Ferreira. Ricardo consegue driblar o ódio do Barão, contando-lhe uma história falsa sobre seu encontro com a Baronesa no meio da estrada. Ferreira acredita. Ferreira começa a voltar a ter os movimentos das pernas, mas resolve manter segredo em torno disso. Adelaide volta para José Coutinho e devolve a carta de alforria para o pai dele. Revoltado, Coutinho oferece Adelaide para Martinho. Sebastião diz a Rafael que Cândida já sabe que ele é filho do Barão e marca um encontro para os dois, a pedido da Baronesa. Rafael confirma a Cândida que é filho do Barão. Martinho mostra para José o documento de posse da Adelaide e por vingança ao pai, a liberta. Sinhá Moça conta para Balbina que Pai José morreu e ela chora. Balbina diz que o nome do filho de Virgínia com Pai José é Bastião e Sinhá Moça começa a desconfiar que seja o Bastião que todos conhecem. O Capitão e Justino resolvem tocaiar Bruno para matá-lo por vingança. Bruno comenta com Fulgêncio que está pensando em matar o Barão para poder apoderar-se do ouro da Fazenda. Justino e o Capitão vão à Fazenda com o objetivo de matar Bruno. Bruno entra subitamente no escritório de Ferreira, que o recebe com uma arma, como se já esperasse ser agredido. No mesmo momento, ouvem-se gritaria e um tiroteio vindo da senzala. Ferreira ordena que Bruno vá ver o que está acontecendo.

SEMANA 23 – Bruno chega à senzala e o Capitão o chama para uma luta de facas. O Capitão cai, ferido, deixando para Justino a chance de matar o feitor, o que ele faz. No final da luta, quando Bruno cai morto, Ferreira aparece na senzala, andando com suas próprias pernas, e manda que os ajudantes de Bruno levem seu corpo para fora. Enquanto isso, Ana e Ricardo casam-se. Ainda vivo, o Capitão é tratado com carinho por Fulgêncio, mas o Barão volta e manda que o joguem no rio. Cândida, ao chegar da cidade, espanta-se quando vê que seu marido está andando normalmente. Ferreira conta que Justino assassinou Bruno. O delegado prende Justino e Fulgêncio. Ferreira volta a abrir as portas da senzala e diz a seus escravos que eles viverão livremente na Fazenda. Rafael revela ao delegado que o Capitão foi jogado no rio ainda vivo, por ordens do Barão. Bastião, ao chega à casa dos Fontes para buscar Balbina, é reconhecido por ela como sendo seu filho. Sinhá Moça consegue licença para conversar com Fulgêncio e Justino e acaba tendo certeza de que Bastião é filho de Virgínia. Ferreira fica espantado e diz a Bastião que, agora que sabe que ele não é filho de Virgínia, ainda vai pensar antes de dar-lhe a carta de alforria como havia prometido. O jornal da cidade publica a decisão de Fontes em abrir um processo contra Ferreira, que fica furioso e promete vingança. Balbina se lembra que quem morreu foi o filho dela e não o de Virgínia. Pois o filho de Virgínia ainda está vivo e é Sebastião. Sinhá Moça, sabendo disso, fica preocupada e diz que precisa contar a Virgínia. Rafael e Juliana resolvem ficar juntos, casar e viver em Araruna. Ricardo ouve o pai e leva Ana para a casa dele. Ferreira contrata homens para matarem Fulgêncio e Justino. Dessa forma, ele tenta evitar o julgamento contra ele. Balbina conta a Justo que sabe onde está o ouro que o Barão esconde na Fazenda de Araruna, mas diz que não quer ir à Fazenda. Os homens descarregam alguns tiros sobre Justino e Fulgêncio, que dormiam em suas celas.

SEMANA 24 – Alertados pelos tiros, Rodolfo e o delegado vão à delegacia. Lá, eles descobrem que os homens atiraram em bonecos de palha, pois Justino e Fulgêncio haviam fugido. Voltam ao bar de Manoel mas resolvem não contar a verdade para os fazendeiros amigos do Barão, deixando-os acreditar que os negros morreram. Juliana consegue livrar-se e avisa ao avô que a tipografia foi destruída. Virgínia e Bastião se emocionam quando descobrem que são mãe e filho. Ferreira resolve dar a alforria apenas para Virgínia e não para Bastião. Dessa forma, os dois teriam que se separar novamente. Mas Cândida consegue convencer o Barão e Virgínia continuará na Fazenda, mesmo alforriada. Justino e Fulgêncio explicam para Balbina que prometeram não fugir e esperar o julgamento. A pedido dos Fontes, Frei José vai ao Barão tentar marcar um encontro reconciliador. E volta com uma notícia que deixa a todos surpresos: o Barão consente em reconciliar-se, desde que a filha volte para casa e espere um casamento que deveria ter acontecido, na igreja de Frei José. Rodolfo diz a Rafael que está desconfiado das atitudes do Barão. Sinhá Moça decide ir com Rodolfo e Frei José à casa do Barão para concretizar a reconciliação. Justino e Fulgêncio encontram o Capitão do Mato no Quilombo e se espantam ao verem que ele está vivo. Quando percebe que o pai não deu alforria a Bastião, Sinhá Moça desiste de acreditar na bondade dele. Ferreira, já sabendo que a filha desaprovaria sua atitude em não alforriar Bastião, resolve dar a carta de alforria não só para ele como também para Virgínia. Sinhá Moça decide ficar na fazenda. Cândida diz ao marido que está feliz pelas atitudes dele. O Barão, para espanto de todos, continua agindo com bondade. Uma de suas ideias é a de casar Sinhá Moça e Rodolfo no mesmo dia e na mesma igreja em que todos os escravos de sua Fazenda, que estiverem noivos. O Capitão se recupera rapidamente e já consegue ficar sentado.

SEMANA 25 – Dimas resolve bancar a autoridade do Barão. Os dois discutem e Dimas o acusa de ter, entre outras coisas, assassinado o Capitão. Ferreira atira em Dimas, mas o tiro não pega. Augusto promete a Juliana que não vai publicar mais nada contra o Barão em seu jornal. Ferreira diz a Virgínia que afogaria um filho que ele por ventura tivesse com uma negra. Assim, Virgínia não tem condições de dizer-lhe que Dimas é seu filho, mas tenta falar que o menino sempre pediu carinho e nunca foi tratado assim, principalmente depois que Sinhá Moça nasceu. O Capitão do Mato aparece, deixando Bastião bastante assustado, pois já o julgava morto. Ferreira, para espanto de todos, aceita que o casamento não seja mais realizado. Em compensação, exige que Rodolfo vá morar na Fazenda, pelo menos até o nascimento da criança. Depois de pensar muito, Rodolfo resolve aceitar a experiência do Barão e vai morar na Fazenda, junto a sua mulher. Adelaide começa a sentir as dores do parto. Adelaide começa a sofrer muito, pois o bebê está sentado e o parto fica difícil. Ricardo tenta, mas não consegue segurar Eduardo, que embarca para a Capital. Para espanto de todos, Coutinho vai ajudar Adelaide a ter o filho. E nasce um negrinho, depois de muita luta, para a alegria do avô. Ricardo e Ana se reconciliam. Ferreira pensa numa forma de matar Rodolfo para simular um acidente. Justo consegue descobrir o ouro da Fazenda. Justo resolve guardar esta informação só para si. Ferreira estava jantando quando um escravo da Fazenda entra, dizendo que viu Fulgêncio, Justino e o Capitão lá fora.

SEMANA 26 – Ferreira fica impressionado ao saber que o Capitão pode estar vivo, junto com Fulgêncio e Justino. Sinhá Moça, Cândida e Virgínia estão sozinhas em casa, quando aparecem o Capitão, Fulgêncio e Justino para mantê-las como reféns. Os três negros resolvem tomar Cândida, Sinhá Moça e Virgínia como reféns, esperando que Ferreira chegue para saberem onde o ouro da Fazenda está escondido. Ferreira chega à Fazenda e é rendido por Fulgêncio, Justino e o Capitão, que o colocam sentado para dizer onde está o ouro. Ferreira recusa-se a dizer onde o ouro da Fazenda está escondido, o que provoca a ira do Capitão. Ferreira é levado para a senzala, onde os negros reerguem o trono e o colocam amarrado, para receber sua lição em forma de chibatadas. Dimas chega e encabeça o castigo, sendo o primeiro a preparar-se para bater em Ferreira. Sinhá Moça, no entanto, que assistia a tudo, lembra-se de Pai José e sai correndo em direção a Dimas para evitar que ele bata em seu próprio pai. Grita com ele e acaba dizendo a Ferreira que Dimas é seu filho. Dimas sente o olhar de Ferreira sobre si, e por causa disso não consegue bater nele. Mas o Capitão, vendo a reação de Dimas, resolve pegar o chicote para bater no Barão. Sinhá Moça vê a cena e sai correndo, colocando seu corpo como escudo para o pai. O Capitão, no entanto, não liga para isso e dá a primeira chicotada. A um canto, Justo, revoltado, dá um tiro e mata o próprio filho. Justino morre também e Fulgêncio é preso com Dimas na senzala. Ferreira recomenda a Augusto que afaste Juliana de Dimas. Ferreira descobre que Bastião já sabe do esconderijo do ouro. Chega à adega e encontra Bastião desmaiado. Enfurecido e preocupado por ter liberado seu segredo, o Barão que manter Bastião preso na adega por toda a vida. Cândida, no entanto, intercede e pede a Ferreira que não faça isso. Alarmada com as atitudes maníacas do marido, Cândida diz à filha que elas devem ir embora daquela casa e Rodolfo concorda com isso. Os três combinam, então, de saírem pela madrugada. Mas Ferreira descobre e diz a Sinhá Moça e Rodolfo que não precisam sair como foragidos, podem ir normalmente.

SEMANA 27 – Tentando ganhar a confiança do sogro, Rodolfo pede a Sinhá Moça que desfaça as malas dos dois. Balbina e Justo arranjam um jeito de carregar, devagarinho e aos poucos, o ouro que Ferreira tinha escondido na falsa adega da Fazenda. Os dois resolvem enterrar o ouro no túmulo do pai do Barão. Finalmente, Sinhá Moça e Cândida percebem que Dimas está amarrado ao tronco e sendo torturado pelo próprio pai. Assustada com toda a situação da Fazenda, Sinhá Moça pede à mãe que a ajude, pois pretende ter seu filho longe do pai, totalmente enlouquecido. Aos pouquinhos, Justo e Balbina conseguem levar praticamente todo o ouro da Fazenda para enterrá-lo junto ao corpo do pai de Ferreira. Augusto recebe uma carta em seu jornal, dizendo ser Maria das Dores, que teria reconhecido um artigo escrito pelo filho dela no jornal de Augusto. Segundo ela, quer ter seu filho nos braços, longe do Barão de Araruna. Ana confessa que também não está mais apaixonada por Ricardo, pois pensa mesmo é em Eduardo. Ferreira, ardilmente, resolve mandar Bastião embora. Virgínia teima em ir com o filho, mas os dois são flagrados pelos capangas do Barão e trancados novamente na senzala. Rodolfo rebela-se inteiramente contra Ferreira. Ferreira, furioso, diz a Rodolfo que ele deve ir embora da Fazenda, mas sozinho. Ferreira vai à adega e fica espantado e furioso quando percebe que seu ouro desapareceu. Numa atitude que revela sua insanidade, ele resolve prender Sinhá Moça, Cândida e Rodolfo na senzala e coloca Sebastião no tronco, açoitando o negro para que ele diga quem foi que lhe ensinou o caminho do ouro. Sinhá Moça começa a sentir as dores de um parto que será prematuro. Sinhá Moça tem um menino, na senzala, com a ajuda dos escravos. Ferreira, ouvindo o choro de criança, vai até lá. Seus capangas são rendidos pelos escravos. Sinhá Moça, Rodolfo e Cândida saem da senzala, liberam os escravos e prendem o Barão. Maria das Dores chega à cidade e vai direto para a tipografia de Augusto, procurando pelo filho. Dimas escreve as cartas de alforria para todos os escravos do Barão, inclusive ele, pois sua carta era falsificada. Os escravos levam Ferreira à força para assinar as cartas, mas ele se nega a fazer isto. Sinhá Moça, então, manda que matem seu pai.

O resumo da novela “Sinhá Moça” foi divulgados pelo Canal Viva. Assim que o canal divulgar novos resumos, essa página será atualizada. O que está achando de rever “Sinhá Moça“?

Você ama essa novela? Compartilhe!