Cordel Encantado: saiba quem é o pai de Nidinho!

1

Nidinho e as crianças de Cordel Encantado estão focados numa investigação para descobrir quem é o pai do garoto, e no meio dessa busca vão acabar descobrindo a verdade!

Inicialmente, Batoré vai acreditar e assumir ser pai do garoto. O delegado vai à casa do Padre Joaquim, acompanhado de Rainha Helena, e pede para falar com Nidinho. Depois de lembrar que teve uma namorada com o mesmo nome da mãe do menino, o delegado acredita ser realmente seu pai e resolve contá-lo a novidade: “Vim aqui para lhe assumir como filho! Venha cá, Nidinho! Abrace seu pai!”.

Nidinho fica radiante e corre para os braços de Batoré gritando: “Painho! Painho!”. Os dois se abraçam, emocionados.

O padre fica perplexo, sem saber o que fazer. Ele tenta interrompê-los e contar que não são pai e filho, mas ambos estão tão empolgados que não deixam o padre falar.

Nidinho declara: “Meu maior sonho sempre foi ter um pai. E eu tô adorando ter um!”. E Batoré ainda completa: “Estou vendo, padre. E não tenho dúvida. O menino é a minha cara… Olhe só! Sem tirar nem pôr! Igualzinho…”.

Padre Joaquim acaba não tendo coragem de contar a verdade ao ver a alegria dos dois. Ele sai, mas antes diz ao delegado que os dois precisam conversar mais tarde. A convite de Batoré, Nidinho o acompanha à delegacia.

Algum tempo depois, Padre Joaquim vai conversar com Batoré sobre o suposto parentesco dele com Nidinho. O pároco vai direto ao ponto: “Delegado, Nidinho é filho de Patácio Peixoto“!

Ele conta que o prefeito sempre soube, mas por questões políticas e por causa de Ternurinha nunca quis assumir a paternidade. Batoré lamenta muito e afirma que irá conversar com Patácio. Ainda faz questão de dar a notícia ao menino. Arrasado, vai procurar Nidinho.

Nidinho, eu preciso ter uma prosa muito séria com você… Tu é valente que só, vai ter força para enfrentar a verdade”, diz o delegado que, sem jeito, revela não ser seu pai verdadeiro.

O menino não consegue acreditar: “Não é possível! Nós somos igual… Também gosto de comer, de ser delegado… E meus cabelos vão cair, o senhor vai ver só”.

As palavras do garoto comovem Batoré, que, mesmo não sendo pai de Nidinho, lhe quer como filho.

Na sequência, Padre Joaquim e Batoré pressionam Patácio e ele vai encontrar Nidinho. O menino fica surpreso com a visita do prefeito, que vai direto ao ponto: “(…) Nidinho, eu sou seu pai!”.

Assim que faz a revelação, Patácio ouve o berro de Ternurinha. Pendurada do lado de fora da janela, a primeira dama se desequilibra e cai.

Patácio fica desesperado: “Ternurinha!! Meu deus, ela ouviu tudo! Tô lascado!”.

Ternurinha é socorrida pelo padre e por Batoré. Patácio também tenta ajudá-la, mas ela diz para seu marido que não quer vê-lo nunca mais.

Padre Joaquim acha melhor retirar as crianças do local, e Batoré leva Nidinho e Juca dali.

Ternurinha solta o verbo: “Vinte e três anos de casamento, padre! Pra descobrir que eu, a primeira-dama da cidade, carrego um par de chifres no cocuruto! Indecente! Imoral! Cafajeste!”.

Ela atira objetos em Patácio, que se protege como pode. O padre pede calma e, diante da revolta de Ternurinha, resolve acompanhá-la ao Palácio do Governo.

Patácio fica arrasado. Será que Ternurinha vai perdoar o marido? Será que Patácio vai assumir Nidinho como filho? Não perca as emoções de Cordel Encantado!

Compartilhe: